Lais Ribeiro comanda reality com trans: “mulheres inspiradoras”

"Born To Fashion", atração do Canal E!, que estreia dia 13, foi criticada por Bolsonaro

Rosângela Espinossi
Publicado em

A top Lais Ribeiro comanda a partir do dia 13 de agosto, às 22h, o “Born To Fashion”, no canal E!, um reality show com modelos trans, que tem 10 episódios. “É uma causa tão forte, mas as pessoas ainda não entendem e o programa está aqui para contar a história dessas meninas”, afirmou em entrevista ao “Elas no Tapete Vermelho”, em 2019, quando o programa estava em fase de gravação.

Lais Ribeiro (Foto: Divulgação)

Lais Ribeiro (Foto: Divulgação)

“São mulheres fortes e inspiradoras, que buscam realizar seus sonhos, conquistar espaço e ter suas vozes ouvidas, mas, para isso, têm que quebrar barreiras todos os dias”, afirmou. A top model, angel da Victoria’s Secret e uma das incentivadoras da marca de contratar a também trans Valentina Sampaio, disse que chorou muito durante as gravações. “Fui apelidada de ‘born to cry’. Muitas delas sofreram episódios de violências e agressões, mesmo dentro da família. Ao mesmo tempo que eu passava um pouco da minha experiência, também aprendi muito”, revelou.

Tio do churrasco

No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro ameaçou extinguir a Ancine (Agência Nacional do Cinema), exatamente por não gostar de alguns projetos aprovados, como o que destinou R$ 3 milhões ao programa, feito em conjunto com a produtora Delicatessen. O órgão hoje está vinculado ao Ministério da Cidadania.

“Esperamos que o programa abra a cabeça tanto do tio do churrasco quanto da tiazinha do WhatsApp”, afirmou a jurada do reality, Lila Colzani, fundadora da Colcci, em entrevista coletiva virtual, que aconteceu nesta quinta-feira (30).

Alice Marcone, André Veloso, Lais Ribeiro e Lila Colzani (Foto: Divulgação)

Alice Marcone, André Veloso, Lais Ribeiro e Lila Colzani (Foto: Divulgação)

O beauty stylist André Veloso e a roteirista Alice Marcone, além de Lila, auxiliaram Lais a buscar um novo rosto para a moda nacional. O programa conta também com participações especiais do estilista Alexandre Herchovitch, da jornalista Patricia Carta e da diretora da Joy Model Liliana Gomes.

Durante toda a competição, que envolve provas de fotografia, vídeo, passarela e teatro, as participantes conviveram na mesma casa e dividiram com o público suas histórias e experiências, além de seus talentos, para brilhar no mundo da moda. Não há eliminação semanal, as candidatas, de vários Estados brasileiros, serão avaliadas a cada desafio e terão de provar para a equipe que sabem ouvir e evoluir. “Fizemos muitas provas, como fotos de biquíni, nudes. Teve emoção e diversão também”, contou Lais.

Porta-voz

“O mundo da moda é cheio de competição. E essas meninas, além de receber os ‘nãos’ normais que todos recebem no mundo fashion, ainda têm de enfrentar a sociedade. Eu aprendi muito com elas”, completou Lais. durante a coletiva virtual. Ela afirma ainda que o mundo da moda está se abrindo para a diversidade, mas ainda há muito caminho a trilhar. “O programa vai abrir um caminho para as meninas trans e estou muito feliz de ser uma das porta-vozes em trazer essa experiência para o público. De usar minha voz para ajudar a romper barreiras”, acrescentou.

Diversidade

Alice Marcone, além de roteirista, também é atriz e cantora, e foi a primeira trans a gravar uma música sertaneja, afirmou que, mesmo com os movimentos antirracistas que têm acontecido no mundo, a comunidade trans ainda não se viu representada. “Ativistas trans e negras dos Estados Unidos têm denunciado opressão dentro do movimento antirracista”, disse na coletiva virtual, ressaltando a importância de um programa como o “Born To Fashion”. Ela lembrou que todas as candidatas têm personalidade forte e, mesmo dentro do programa, buscou-se um casting plural, que contemple a diversidade dentro do universo trans.

Lais Ribeiro (Foto: Divulgação)

Lais Ribeiro (Foto: Divulgação)

Lais Ribeiro acrescentou também que já passou por vários desafios na vida profissional, mas apresentar o programa ‘deu até frio na barriga’. “Sempre pensei em algo para fazer a TV e o “Born to Fashion” caiu no meu colo. Quando minha agente me falou do convite, não pensei duas vezes. Lia o roteiro e pensava como ia entrar tudo na cabeça. Nada foi memorizado. Eles dão uma direção e a gente tenta seguir, adiciona com nossa experiência. Foi desafiador e, com certeza, um dos trabalhos em que eu mais aprendi na vida.”, afirmou a top.

Marcello Coltro, vice-presidente sênior de criativo e marketing do Canal E!, afirmou na coletiva virtual aque a produção vem complementar a estratégia da emissora de dar voz a várias mulheres. “O tema desse programa é muito importante e se alinha com o que queremos: a sociedade entender as várias comunidades.Tivemos sorte de acabar a produção antes da pandemia. Afetou o lançamento, pois não pudemos dar uma festa, como sempre fazemos”, disse Marcello. Segundo ele, como todo projeto, depende muito da audiência a possibilidade de ter uma segunda temporada.” Acreditamos muito no projeto “Born to Fashion” e torcemos para que a audiência fique engajada”, afirmou. Nas redes sociais do E! também serão divulgadas pílulas educativas sobre o universo LGBTQIA+, chamadas de “Transvocabulary” e “Transinformation”