Victoria’s Secret voltará mais forte em 2020, diz Lais Ribeiro

Desfile foi cancelado pela grife este ano, que tem recebido enxurrada de criticas pela falta de diversidade e por denúncias de assédio sexual feitas por ex-modelos

Rosângela Espinossi
Publicado em
Lais Ribeiro (Foto: Divulgação)

Lais Ribeiro (Foto: Divulgação)

A modelo Lais Ribeiro, única Angel brasileira da Victoria’s Secret, afirmou que o cancelamento do tradicional desfile de lingerie americana, anunciado no fim de julho,  trará benefícios à marca. “A Victoria´s Secret deixa de apresentar o show este ano para voltar mais forte em 2020”, disse ao “Elas no Tapete Vermelho”.
A grife está sendo criticada por não ter um casting que contemple a diversidade e por ex-modelos, que relataram casos de assédio sexual durante os trabalhos. Sobre esse último assunto, Lais preferiu falar apenas de sua experiência.

Lais Ribeiro (Fotos: Divulgação)

“Tive apenas uma vez um problema com um fotógrafo. Comuniquei o fato à direção da empresa, o fotógrafo foi dispensado no dia seguinte e nunca mais foi contratado. Sempre respeitaram muito nosso trabalho. As pessoas confundem as coisas” afirmou a angel.

Ela garante que sempre vai levantar a bandeira da Victoria’s Secret, que já contou com angels como Gisele Bündchen, Izabel Goulart, Alessandra Ambrosio e Adriana Lima, a mais longeva de todas e que se despediu da marca no desfile de 2018, após 19 anos. “Estou lá há 9 anos e hoje sou a única angel brasileira. Me considero uma mãe das novas meninas que estão chegando. Somos uma família e sempre fui muito respeitada por todos lá dentro.”

Top trans

Sobre a recente saída de Ed Razek, diretor de marketing da Victoria’s Secret, cargo ocupado na L Brands, empresa controladora da marca, Lais não se furtou a comentar. “Ele tem 71 anos e deu a vida para fazer da marca o que ela é hoje. Exatamente para deixar a Victoria’s Secret seguir o curso do momento atual, preferiu se afastar”, disse a top, ao lembrar que foi o próprio Razek que comunicou a todas o cancelamento do desfile de 2019.

O ex-executivo declarou em 2018 que modelos trans e plus size nunca fariam parte do casting da grife de lingerie. E sua saída aconteceu justamente quando a primeira modelo transgênero foi contratada para participar do catálogo da linha Pink da marca. Trata-se da brasileira Valentina Sampaio.

Valentina Sampaio (Fotos: Divulgação)

Valentina Sampaio (Fotos: Divulgação)

“Fiquei muito feliz com a chegada de Valentina à VS. Mostra que a marca está evoluindo, abrindo espaço para a diversidade”, completou Lais Ribeiro, uma das responsáveis por apresentar a modelo cearense à marca de lingerie.”Tenho a mania de ‘empurrar’ as pessoas que eu gosto. Sempre falei para todos meus conhecidos sobre a Valentina. Ela é linda e está aqui para quebrar barreiras.”

Leave a Reply

  • (not be published)