SPFW: Pimenta se inspira nas lésbicas com Miklos na passarela

Levou para a passarela modelos de todos os tipos e sexualidade

Rosângela Espinossi
Publicado em
Paulo Miklos desfila no SPFW (Foto: Francisco Cepeda/AgNews)

Paulo Miklos desfila no SPFW (Foto: Francisco Cepeda/AgNews)

O estilista João Pimenta foi um dos precursores, desde quando desfilava na Casa de Criadores, de colocar saias nos homens. Foi transgressor e sempre será. Dessa vez, sua inspiração foi na mitologia de Lilith e no universo lésbico. Levou para a passarela modelos de todos os tipos e sexualidade. Desde o trans Sam Porto, de 24 anos, que passou por mastectomia, até o cantor Paulo Miklos.

Teve roupas usadas por héteros, trans, lésbicas, gays, sem preconceito. Seios de fora, peito de fora, transparência, renda, em peças criadas em linho, seda, lã, resinados, algodão e crepes. O desfile pode ser tratado como uma peça de resistência nos tempos atuais, em que o pudor e a caretice tem dominado corpos e mentes do país.

João Pimenta (Fotos: Francisco Cepeda/AgNews)

João Pimenta (Fotos: Francisco Cepeda/AgNews)

A mensagem, que sempre foi passada pelo estilista, não poderia ser mais atual. A vestimenta faz parte de padrões estabelecidos e faz parte da “resistência” romper tais paradigmas. Na trilha sonora, a cantora GA31 (Gabi), com sua música “sapatona” escancara a realidade que muita gente ainda quer manter escondida.

Nas roupas, os paletós, túnicas, camisas, calças, saias, bermudas, doudounes (capas almofadadas), bordados, sobreposições, botas, cortes assimétricos. Podia ter uma manga maior aqui, uma transparência ali, para eles e elas, além de correntes, capuzes, o crucifixo invertido da marca estampado.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Elas No Tapete Vermelho (@elasnotapetevermelho) em

Mensagem enviada, mensagem recebida. O público LGBT etc. muito bem representado, sem que isso seja uma preocupação, como passa na cabeça de muita gente de mente pequena.