Cleo lança lingerie nude para todos os tons de pele: sensual

Rosângela Espinossi
Publicado em
Cleo (Foto: Danilo Cruz/Divulgação)

Cleo (Foto: Danilo Cruz/Divulgação)

Cleo, que está no ar com a vilã Betina em “O Tempo Não Para”, acaba de criar um coleção de lingerie com todos os tons de nude das mulheres brasileiras. Trata-se da Power of Nude Liebe by Cleo, em parceria com a Liebe, marca da qual é também é curadora e pela qual lançou também adesivos de seios.

Cleo e demais modelos com a coleção da Liebe (Foto: Danilo Cruz/Divulgação)

Cleo e demais modelos com a coleção da Liebe (Foto: Danilo Cruz/Divulgação)

A ideia surgiu da própria Cleo, quando procurava lingerie no tom da pele de uma das bailarinas, negra, para o videoclipe “Bandida”. Foi uma tarefa difícil, por isso sugeriu à marca para lançar um coleção que representasse todas as mulheres, independentemente do tom de pele.

Para posar para a campanha, Cleo convidou modelos que são também são influenciadoras empoderadas em suas áreas e trazem esse discurso para potencializar a diversidade. São elas: a modelo negra ativista Nérida Cocamário; a ex-miss Brasil Raissa Santana;a comediante Letticia Munniz, que faz humor voltado para o empoderamento femininino; além da modelo Andressa Rocha e da própria Cleo.

As fotos foram feitas no Parque Burle Marx, no Hotel Palácio Tángará e no estúdio Boop, em São Paulo. Os cliques são assinados por Jacques Dequeker, com styling de Rapha Mendonça e beleza de Pedro Moreira.

Em entrevista ao “Elas no Tapete Vermelho”, Cleo  fala sobre a coleção e sua fascinação por lingerie nude. “É um charme usar lingerie do tom da pele. Elas podem ser delicadas, misteriosas, sensuais”. Veja abaixo.

Elas no Tapete Vermelho Por que ainda existe tanto preconceito em relação à lingerie nude no Brasil?

Cleo – Eu não sei por que cultivamos o rótulo de sexy apenas na renda. Eu acho que tantas coisas podem ser sensuais. Atualmente, acredito que as peças em tons de pele tem sido muito mais bem aceitas, porque o conceito do sensual e bonito está mudando. Hoje existe um charme em usar  lingerie do tom da pele, cria um interesse em estar com o corpo inteiro no mesmo tom.

Elas no Tapete Vermelho –  Cite 3 vantagens e 3 desvantagens da lingerie nude.

CleoAh, difícil porque eu adoro peças no meu tom de pele, sou suspeita para encontrar um defeito. Acho que não tem, haha. Essas peças podem ser delicadas, misteriosas, sensuais. O quanto menos a gente rotular, melhor!  

Elas no Tapete Vermelho – O designer de calçados Christian Louboutin lançou sete tons de nude em seus sapatos, já que os tons de pele variam muito. Agora esse conceito chega à lingerie. Fale um pouco disso.

Cleo – Eu acho que é de extrema importância ter essa mudança na moda, porque ela precisa ser inclusiva, ter espaço para todos. É muito bacana quando as marcas abraçam a causa e produzem para um público maior. Elas só têm a ganhar com isso. Fiquei bem contente quando sugeri isso para a Liebe e eles embarcaram, porque durante a gravação do clipe “Bandida” foi muito difícil encontrarmos outros tons de pele para uma das bailarinas, que é negra, e é bizarro que isso ainda aconteça. Foi daí, inclusive, que surgiu a ideia de fazer uma coleção que contemplasse outros tons de pele, estou feliz com o resultado.

Elas no Tapete Vermelho– Você costuma postar fotos sexies e um dos preconceitos em relação à lingerie nude é de que é tida como menos sexy de todas. Então, dá uma dica de como ser sexy com lingerie cor da pele.

Cleo –Eu acho que a principal dica é, antes de tudo, a mulher estar bem consigo mesma. Depois, é usar o nude com confiança, porque há peças que são delicadas e provocantes, assim como qualquer outra.

Elas no Tapete Vermelho –  O Brasil está vivendo um momento em que muitas pessoas têm se revelado misóginas, homofóbicas e racistas. Qual o recado que pode dar a elas?

Cleo –Acredito que o único recado nesse momento em que vivemos é: espalhe o amor e promova a empatia. Precisamos de mais amor para poder entender e respeitar o próximo sem julgamentos.