O extragrande está na moda mesmo?

Rosângela Espinossi
Publicado em
Arlindo Grund/Reprodução

Arlindo Grund/Reprodução

Por Arlindo Grund

Sim, as formas extragrandes e gigantes estão na moda desde que o estilista Demna Gvasalia, do coletivo francês Vetements e diretor criativo da Balenciaga, resgatou os exageros dos anos 80, aliados a uma arquitetura de tecidos e modelagens que superdimensionam qualquer peça de roupa. O mais legal de tudo é que o mundo vem absorvendo isso de uma forma natural, e as pessoas mais descoladas sempre vão se identificar com algumas dessas peças que falerei agora. Vamos lá?

Moletom

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

Sem perder tempo, vamos falar do moletom que acompanha a tendência esportiva. O mais legal é que essa peça “super extra grande” pode ser tornar um vestido descontraído, pode ser usado com shorts e, por que não, com uma calça skinny, que deixará o seu visual bem sexy? Invista! Olhe-se no espelho e até flerte com o moletom do irmão ou do marido.

Calças

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

Eu adoro brincar com as proporções. Isso faz com que você saia da sua zona de conforto e do lugar comum da moda. As calças inspiradas nas modelagens dos anos 80, onde a sobra de tecido significava estilo, vem para você se questionar em relação aos volumes, tamanhos e formas. É fato que essas peças não te darão as melhores formas, mas com certeza te darão um atestado de, no mínimo, ousado. E seja sua maior critica. Só use peças extragrandes quando você estiver bem segura do seu estilo. Se quiser começar pelas calças, misture-as com camisetas básicas.

Suéter

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

A moda gosta mesmo de brincar com as regras e uma peça que a princípio seria bem clássica ganha novas proporções e ousadas misturas e combinações. O suéter que tem cara de clima mais frio, vira um vestido. Mas a ideia é passar conforto. E a imagem da peça é como se ela estivesse secado pendurada. Dai ela estica! A mistura que ela permite vai desde uma saia plissada até mesmo uma calça de alfaiataria ou um jeans skinny. Tudo vai depender de seu corpo. Mas de maneira geral, um acessório mais imponente cai bem na produção com uma peça com cara de esticada.

Camisa branca

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

Foto: Reprodução/Arlindo Grund

As camisas brancas não podiam ficar de foram dessa reinvenção da moda em desconstruir e reconstruir modelagens clássicas. O momento é do extra. As camisas ganham tamanha proporção que deixam as mulheres com um ar de desleixo ou visual mais relaxado. Por isso que acho bacana usar com peças mais femininas, como shorts, acessórios divertidos e, acima de tudo, tomar cuidado, porque como a peça é grande ela tende a se deslocar com facilidade. Então uma regata ou top não faz mal a ninguém.

Arlindo Grund, apresentador do Esquadrão da Moda do SBT, consultor de moda e nosso amigo, dá dicas todas as semanas aqui no Elas No Tapete Vermelho. Veja mais conselhos do expert no site www.agrund.com.